"Amor, autoridade e a perene lição da Páscoa"

Com a devida vénia, transcrevemos um texto publicado no Semanário SOL (21.04.2011), da autoria de João António Pinheiro Teixeira (Teólogo):

Amor, autoridade e a perene lição da Páscoa

A PÁSCOA não é a evocação vaporosa de uma época distante. Ela é a novidade perene oferecida ao homem e inscrita no tempo.

Não é em vão que ela ocorre sempre na Primavera, quando a natureza se solta. E, quase sempre, em Abril, quando, entre nós, a liberdade se celebra.

O Evangelho, até no mais ínfimo pormenor, tem a preocupação de realçar tal novidade.

A referência que nele é feita ao «primeiro dia da semana» (Jo 20, 1) surge em nítido contraste com o dia anterior, o último dia.

No ocaso do último dia, respira-se morte. Já no alvorecer do primeiro dia, volta a despontar a surpresa da vida.

O SINAL da morte está removido. A pedra no sepulcro seria como um ponto final num texto. Afinal, o texto iria continuar.

Sucede que, num primeiro momento, a reacção é de alarme. Não se trataria de uma vitória da vida, mas do fruto de um cadáver (cf. Jo 20, 2).

São, então, avisados dois dos discípulos de Jesus: Pedro e João, duas personalidades e dois sinais. Pedro representa a autoridade, João simboliza o amor.


Pedro e João correm em direcção ao sepulcro
 Pedro sai com João rumo ao sepulcro. Ou seja, a autoridade não dispensa o amor na procura de Jesus.

Mas, a determinada altura, João antecipa-se. Na verdade, o amor chega sempre à frente e chega sempre primeiro.

Como refere o comentário de Mateos-Barreto, «corre mais depressa o que tem a experiência do amor, o que foi testemunha do fruto da Cruz».

De facto, na hora da morte, só o amor (João) esteve presente. A autoridade (Pedro) ausentara-se, retraída, Só o amor é capaz de vencer o medo.

JOÃO chega primeiro ao sepulcro. É pelo amor que se atinge a meta e se chega a Deus.

Só que, como reconhece S. Paulo, o amor também sabe ser paciente, também consegue esperar e, aspecto nada negligenciável, nunca é invejoso (cf. 1Cor 13, 4).

João vê o sepulcro vazio, mas não entra. Aguarda que Pedro venha. O amor respeita a autoridade. Até porque sabe que, na Igreja, a autoridade está ao serviço do amor.

Não se trata de um mero acto de deferência. É, sobretudo, um gesto de reconciliação.

É que, com as negações de Pedro (cf. Jo 18, 15-17.25), era a autoridade que vacilara, vacilara no amor. Agora, o amor dá uma nova – e definitiva – oportunidade à autoridade.

O amor é humilde. Sabe que a autoridade tinha negado Jesus, mas, por isso mesmo, deixa-a entrar em primeiro lugar para que, em primeiro lugar também, expresse o seu amor.

O AMOR é mesmo assim: uma sucessão de começos. A autoridade sente-se reabilitada e segura por correr atrás do amor.

Na Igreja de Jesus, a autoridade só faz sentido em função do amor. A autoridade não vale por si mesma. Ela só tem sentido através do amor, pela mediação do amor.

É o amor que aponta o caminho à autoridade. Sem amor, a autoridade perde o norte, a bússola.

A autoridade é necessária. Mas ela é apenas instrumental. Existe para tornar presente o essencial. E o essencial é o amor.”

(imagem retirada da internet)

Jornal "Avé Maria" - Nº 2604 (Semanário) - Vila Real - 3 de Abril de 2011

YOUCAT

É o título do catecismo jovem mundial escrito “numa linguagem mais compreensível”. “Baseado no Catecismo da Igreja Católica – obra universal de referência na Igreja”, pretende levar os jovens a “aprofundar a Fé lendo de novo e de maneira nova” aquele Catecismo.

Pedido pelos jovens das Jornadas Mundiais de Juventude, “mais de 50 jovens cristãos juntaram-se em dois campos de férias para estudar o Compêndio do Catecismo da Igreja Católica. Marcaram as passagens de mais difícil compreensão, prepararam novas perguntas (…) criaram uma base de dados e de imagens. Todo o trabalho foi voluntário e não remunerado… levou cinco anos para ser concretizado.”

"Abarca toda a fé católica como é apresentada pelo Catecismo da Igreja Católica sem contudo ambicionar a totalidade oferecida por este”.

Estará nas livrarias a partir dos meados da próxima semana.

(Notícia da Agência Ecclesia)

***

Diz a Sagrada Escritura:
«A fé pela pregação, através da qual nos é comunicada a Palavra de Cristo» (Rom. 10, 17)

***

Se é de Deus um peregrino,
Pára um pouco e nisto pensa:
Caminhar na indiferença
É pôr e, risco o destino.

Quando nela é tudo são,
É feliz a juventude;
Mas tanta gente se ilude
E prefere a podridão!

Semana Santa 2011 em Vila Real

Semana Santa 2011 em Vila Real - 17 a 24 de Abril

Na Semana Santa celebram-se os mistérios da salvação consumada por Jesus nos últimos anos da sua vida na terra, desde a entrada triunfal em Jerusalém até à sua sacratíssima Paixão e gloriosa Ressurreição. A Semana Santa contém aquilo que Jesus definiu como a “Sua Hora”.

A antiga liturgia de Milão classificava esta semana de Semana Autêntica por ser a semana dos verdadeiros “trabalhos de Jesus”. O anterior Missal romano chamava-lhe Semana Maior, não pelo número de dias, mas pelo seu conteúdo salvífico.

O conjunto das celebrações da Semana Santa constitui o núcleo da fé da Igreja, o Mistério Pascal, revelador da plenitude do amor de Deus ao mundo. As cores litúrgicas são a encarnada e a branca, as cores de vida e de vitória.

As celebrações na Sé são presididas pelo Bispo da Diocese.

Domingo de Ramos17 de Abril

Celebra-se a Entrada de Jesus em Jerusalém, aclamado como Messias e Filho de David e, ao mesmo tempo, o Início da sua Paixão. Daí o nome de “Domingo de Ramos na Paixão”. É o pórtico de entrada da Semana Santa.

10h00 – Benção dos Ramos – na Capela Nova, com cortejo para a Igreja de S. Pedro.

10h15 – Benção dos Ramos – no Bairro da Traslar, com cortejo para a Igreja de Nª Sª da Conceição.

11h30 – Benção dos Ramos – na Igreja da Misericórdia, com cortejo para a Sé.

Os ramos benzem-se para serem levados na Procissão e não propriamente para ser guardados em casa.

Quarta-feira Santa20 de Abril

18h00 – Celebração do Sacramento da Reconciliação ou Confissão, na Sé.

Quinta-feira Santa21 de Abril

10h00 – Missa Crismal na Sé

Nesta manhã, é a única Missa em toda a Diocese. É presidida pelo Bispo e concelebrada pelos padres vindos de toda a Diocese, que nela renovarão os seus compromissos sacerdotais, em testemunho de um único presbitério.

Nessa Missa são benzidos o Óleo dos Catecúmenos (para os baptismos), o Óleo dos Doentes (para os Enfermos), e é consagrado o Óleo do Crisma. Daí o nome de Missa Crismal. Por esta dimensão eclesial, os fiéis são convidados a participar nesta celebração.

14h00 – Celebração do Sacramento da Reconciliação ou Confissão, na Sé Catedral.

15h30 – Celebração do Sacramento da Reconciliação ou Confissão, na Igreja de Nª Sª da Conceição.

17h00 – Missa Vespertina da Ceia do Senhor, na Sé Catedral

Desde a tarde de hoje até à tarde de Domingo decorre o Tríduo Pascal, o coração da Semana Santa.

Nesta Missa celebra-se a Instituição da Eucaristia e do Sacerdócio (que os Apóstolos receberam em plenitude e depois transmitiram em grau diferente, aos Bispos – seus Sucessores – e aos Presbíteros) e a proclamação do Mandamento Novo, segundo o qual toda a autoridade deve exercer o poder como um serviço. Daí o gesto do lava-pés.

18h00 – Missa Vespertina da Ceia nas Paróquias de S. Pedro e Senhora da Conceição

21h00 – As Paróquias organizarão visitas guiadas às Igrejas para adoração ao SS.mo Sacramento.

Das 21h00 às 24h00 – Adoração solene ao Santíssimo Sacramento na Igreja da Senhora da Conceição

Sexta-Feira Santa22 de Abril

Dia consagrado à meditação da Paixão e Morte Redentora do Mundo. Daí o uso de paramento encarnado, o mesmo dos Ramos e do Pentecostes, pois Jesus subiu ao Calvário animado pelo Espírito Santo.

10hh0 – Ofício de Leituras e Laudes na Sé, cantado pelos seminaristas e religiosas

15h00 – Solene Acção Litúrgica da Tarde, nas três Paróquias

Não se trata de Missa, mas de uma longa meditação orante. Inclui a Leitura da Paixão, Preces Universais, Adoração da Cruz, Comunhão e Desnudação do Altar.

As esmolas recolhidas neste dia serão enviadas para Jerusalém, a fim de ajudar a conservar os lugares santificados pela vida e morte de Jesus.

17h30 – Procissão do Enterro do Senhor – Sai da Capela da Misericórdia, aonde recolhe. A organização está a cargo da Santa Casa da Misericórdia de Vila Real.

21h00 – Via Sacra Pública pela cidade

Cada Paróquia da cidade fará a sua Via Sacra, em público, em direcção ao Calvário, e aí, a 14ª estação terá a participação das pessoas de todas as Paróquias.

Pelo seu carácter penitencial este dia é de jejum e abstinência e deve ser vivido em recolhimento pessoal e familiar.

Sábado Santo23 de Abril

Este dia é dedicado à contemplação de Jesus morto e sepultado, a “descansar” dos trabalhos da sua Paixão. Deve, pois, chamar-se “Sábado Santo” e não “de aleluia”, que só começa na noite da Vigília pascal. Este sábado é um dia “alitúrgico”, isto é, não há nele qualquer celebração: nem missa, nem baptismo, nem casamento, nem comunhão (excepto para os moribundos).

10hh0 – Ofício de Leituras e Laudes na Sé, cantado pelos seminaristas e religiosas

21h30 – Solene Vigília Pascal na Sé

21h30 – Vigília Pascal nas outras duas Paróquias

A Vigília Pascal é a mãe de todas as vigílias, é a celebração geradora de todas as celebrações.

Não pode chamar-se “Missa vespertina” nem pelo conteúdo nem pela hora. “Estar de vigília” é estar atento ao acontecimento pascal, sem sono, desperto.

A Igreja não dorme nesta noite, recolhe-se para meditar e cantar a vitória do seu Senhor sobre o pecado e a morte. Relê os textos da criação do Mundo e do Homem, que Jesus Ressuscitado reordena numa Nova Criação: Ele é o novo Adão que dá início a uma nova Humanidade; a semana é reordenada, de modo que o que era “primeiro dia da criação” passa a ser “o Dia do Senhor”.

A celebração da Vigília é, por sua natureza, longa. Inclui a Bênção do Lume novo, o canto do Precónio, as leituras bíblicas pascais, a Bênção da água do Baptismo e renovação de promessas e Eucaristia. Todos estes elementos formam um todo, pelo que seria incorrecto falar de “ir à Missa da Vigília”, que faz parte integrante da celebração.

As pessoas que desejem participar na Vigília devem levar uma vela para a renovação das promessas baptismais e uma campainha para a proclamação do ALELUIA PASCAL.

Domingo de Páscoa – 24 de Abril

É o primeiro Domingo do ano e prolonga a Vigília Pascal-

O “primeiro dia da semana”, dia em que Deus criara a Luz, passa a ser também o Dia do Senhor Ressuscitado e Dia da Igreja reunida em assembleia pascal. S. Agostinho chamará ao Domingo o “8º dia”, em virtude de a Ressurreição do Senhor abrir a História para além das leis do tempo natural ou do simples descanso.

Os Párocos ou grupos de cristãos por eles enviados visitam as famílias cristãs, levando-lhes a mensagem pascal. Esta visita e mensagem dirigem-se às pessoas, pelo que não faz sentido visitar casas vazias.

O toque dos sinos, a água baptismal, o estralejar dos foguetes, o rosmaninho e o alecrim, os ovos (símbolos da vida e do sepulcro por ela rompido), os ramos da Primavera – são recursos de que o povo lançou mão para exprimir a sua fé e alegria na Ressurreição do Senhor.

09h00 – Saída do Compasso nas Paróquias da Sé e da Sra da Conceição

09h30 – Saída do Compasso na Paróquia de Sto António

11h30 – Eucaristia da Páscoa na Paróquia de S. Pedro

12h00 – Eucaristia da Páscoa na Sé e na Igreja da Senhora da Conceição

14h30 – Saída do Compasso na Paróquia de S. Pedro

18h00 – Eucaristia da Páscoa na Igreja de S. Pedro e da Igreja da Senhora da Conceição

(Texto retirado de um folheto elaborado e editado pela Diocese de Vila Real)

**************************************************

Durante a Quaresma, a Semana Santa e a Páscoa, de Norte a Sul de Portugal, ainda há localidades que teimam em manter usos, costumes e tradições relacionados com este ciclo litúrgico, ajudando a que os mesmos sobrevivam à voragem do tempo. Em muitos destes usos e costumes é a Religiosidade Popular que persiste! 

Intenções do Papa para o mês de Abril de 2011

Intenções do Papa - Abril

Geral: Para que a Igreja saiba oferecer às novas gerações, através do anúncio credível do Evangelho, razões de vida e de esperança sempre novas.

Missionária: A fim de que os missionários, com a pregação do Evangelho e o testemunho de vida, saibam anunciar Cristo a quantos ainda não O conhecem.

Também poderá gostar de ler sobre...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...