Jornal "Avé Maria" - Nº 2603 (Semanário) - Vila Real - 27 de Março de 2011

Quaresma – Tempo de Penitência e Reconciliação

A Igreja, na Liturgia das Horas, reza todas as sextas-feiras do ano o Salmo 50. Ao longo da Quaresma, na Eucaristia, é rezado cinco vezes, quatro das quais nos primeiros dias: “Tende compaixão de mim, ó Deu…” Que “compaixão”?

Não nos enganemos, não se trata tanto de pedir perdão das nossas faltas mas de um chamamento à conversão: a certeza de um futuro sempre aberto e possível, por mais densas que sejam as sombras que envolvam a nossa vida pessoal e comunitária. Trata-se de um pedido insistente que o Senhor realize o seu projecto salvador e reconciliador em nós e no mundo.

E se aproveitássemos este tempo da Quaresma, como a Igreja nos convida, para vivermos plenamente este Salmo, encontrando um padre para celebrarmos a Penitência e a Reconciliação, “acolhermos o perdão de Deus e dele sermos testemunhas junto dos outros”?

***

Diz a Sagrada Escritura:
«Recebei o Espírito Santo. Àqueles a quem perdoardes os pecados, ficarão perdoados; àqueles a quem os retiverdes, ficarão retidos.» (Jo. 20, 22-23)

***

É na cristã penitência,
Sacramento do perdão,
Onde todo o bom cristão
Vai lavar a consciência.

É o encontro acolhedor
De pessoa com pessoa
Entre Jesus, que perdoa,
E um contrito pecador.

Celebrações no âmbito do ano catequético

O Grupo da Catequese de Constantim reuniu no passado dia 27, no Salão da Igreja Paroquial para definir as datas de algumas das celebrações, no âmbito da Catequese Paroquial. Assim, ficou acordado o seguinte:

- Dia 8 de Maio – “Festa do Pai Nosso” – para as crianças que frequentam o 2º ano;

- Dia 19 de Junho – “Festa da 1ª Comunhão” – para as crianças do 3º ano e Festa da Profissão de Fé” – para os que frequentam o 6º ano;

- Dia 26 de Junho – “Festa do Final do Ano Catequético” – para todos os anos;

Em todas as celebrações, todos os membros do Grupo da Catequese devem estar presentes e colaborar no que for preciso.

Quando estiverem definidos os cânticos, as datas e o local dos ensaios, avisaremos.

Boa semana.

Jornal "Avé Maria" - Nº 2602 (Semanário) - Vila Real - 20 de Março de 2011

Quaresma – tempo de mais oração

A tradição cristã e a liturgia da Igreja apontam-nos o tempo da Quaresma como dos mais propícios para o exercício das práticas espirituais. Entre elas destaca-se a leitura da Palavra de Deus como caminho e apoio para a oração pessoal.

Muitos santos converteram-se por uma simples frase do Evangelho. Há palavras que nos atingem totalmente e nunca mais desaparecem da nossa consciência. E compreende-se: elas foram ditas e escritas… para ti, para mim.

Porque não ler todos os dias os textos da Santa missa? Hoje, é uma possibilidade ao alcance de todos…

Ao rezarmos, a primeira preocupação deve ser o desejo sincero de estabelecer uma relação afectiva com Deus, com Seu Filho Jesus Cristo, graças ao Espírito Santo que reza em nós. Uma coisa é certa: sem vida de oração não existe vida de fé. “Creio tanto quanto rezo”!

***

Diz a Sagrada Escritura:
«Pai, chegou a hora! Glorifica o Teu Filho para que Ele Te glorifique a Ti…» (Jo, 17, 1)

***

Quaresma bem conseguida,
Se um cristão quer ser perfeito,
Só a há, se for vivida
A corrigir um defeito.

Se queres nesta Quaresma
Corrigir-te, não te iludas:
Se não rezares, não mudas
E deixas tudo na mesma

Mensagem para a Quaresma: "Assumir as dores e as esperanças da Sociedade"

D. Joaquim Gonçalves e D. Amândio José Tomás, respectivamente, Bispo de Vila Real e Bispo Coadjutor, tornaram pública a sua Mensagem para a Quaresma de 2011 da Diocese de Vila Real, intitulada "Assumir as dores e as esperanças da Sociedade".

Pode ler aqui a Mensagem>>>

QUARESMA


Breve história da Quaresma

No princípio, a Igreja preparava-se para celebrar a Páscoa, jejuando Sexta-Feira Santa e Sábado Santo.

Os 40 dias da Quaresma foram introduzidos pela Igreja, segundo S. Leão Magno e Santo Agostinho, para que os fiéis durante este longo retiro anual comemorassem solenemente a Paixão e Morte de Cristo.

O facto de serem 40 dias foi certamente sugerido pelo jejum de Moisés e Elias e especialmente de Jesus, no deserto, antes de dar começo à Sua vida pública.

A Quaresma foi mencionada a primeira vez no cânone quinto do Concílio de Niceia no ano 325, e nas «Cartas Festivais» de Santo Atanásio. A Liturgia da Quaresma, compilada entre os anos 461 e 596 mostra em cada uma das suas páginas o muito que sofreram então os cristãos de Roma.

Durante esse período de tempo, Roma era repetidas vezes assediada e saqueada pelos Vândalos, Godos, Hunos e Lombardos.
In Almanaque Popular 2005


O luto quaresmal

Uma atmosfera de dó sempre caracterizou o período da Quaresma. Antigamente, a Igreja e o Estado proibiam as festividades e distracções públicas. O mesmo acontecia nas famílias.

Nas cortes reais, a Quaresma obrigava a luto oficial. Os monarcas, a nobreza e o povo, vestiam de negro. A Inglaterra continuou fiel, em muitas regiões, ao velho costume, mesmo depois da Reforma.

A Rainha Isabel I (1603) e as suas damas trajavam de preto. Na Rússia, até aos finais do século XIX, cessavam toda a música profana e as mulheres não punham jóias.
In Almanaque Popular 2006
Imagem retirada da internet

Jornal "Avé Maria" - Nº 2600 (Semanário) - Vila Real - 6 de Março de 2011

Dia das Cinzas

Quarta-Feira de Cinzas abre o tempo litúrgico da Quaresma com a bênção e a imposição das cinzas. Celebração importante, muitas paróquias a repetem no Domingo seguinte para dar oportunidade aos crentes cujo trabalho não permitiu que participassem, poderem aprofundar mais o sentido que ela nos lembra: a nossa fragilidade e o chamamento à conversão.

Marcados com as cinzas, os cristãos, pessoalmente e em comunidade, entram na caminhada simbólica, no seguimento de Jesus Cristo, para viverem quarenta dias de oração, de jejum e de partilha.

Receber as cinzas é, por isso, tomar consciência da nossa condição de pecadores e de querer responder ao convite de Deus: “Lembra-te que és pó, e em pó te hás-de tornar” e “Convertei-vos e acreditai no Evangelho”.

É um gesto antigo. Já no Velho Testamento se praticava como sinal de penitência/arrependimento e também de grande sofrimento, por exemplo, nos tempos de luto.

* * * * *

Diz a Sagrada Escritura:
«Já é hora de acordardes do sono, pois a salvação está agora mais perto de nós (…). Despojemo-nos das obras das trevas e revistamo-nos das armas da luz(Rm. 13, 11-12)

* * * * *

O dia das cinzas é
Esse dia quaresmal
Em que o homem que tem fé
Prepara o tempo pascal.

É ocasião preferida,
Pois há o cristão sentimento
De que a mudança de vida
Não se faz sem sofrimento.

Intenções do Papa para o mês de Março 2011

Geral:
Para que as nações da América Latina possam caminhar na fidelidade ao Evangelho, e progredir na justiça social e na paz.

Missionária:
A fim de que o Espírito Santo infunda luz e força nas comunidades cristãs e nos fiéis perseguidos ou discriminados por causa do Evangelho em muitas regiões do mundo.



Imagem retirada da internet

Jornal "Avé Maria" - Nº 2599 (Semanário) - Vila Real - 27 de Fevereiro de 2011

Indiferença religiosa

No passado não muito remoto, a população da nossa Diocese, pelo menos na aparência, era massivamente católica. Todos frequentavam os sacramentos, pareciam viver como cristãos. Os poucos não crentes, que até se diziam ateus, falavam mais do Senhor que os fiéis, mostrando o “vazio de Deus” que os preocupava.

Hoje não se nega a existência de Deus mas muitos também não a afirmam. Deus é Alguém que não serve, que não interessa, com Quem não vale a pena preocuparmo-nos. È a indiferença que, actualmente, reina e parece crescer.

A fé dos nossos cristãos nunca foi muito esclarecida. Poucos sabem apresentar as razões da sua esperança. Eram cristãos pela força da tradição e do ambiente familiar e social. Ainda hoje isso se constata. E a ignorância religiosa leva ao fanatismo ou à indiferença. É notória a necessidade de formação de que muitos pensam não precisar.

* * * * *

Diz a Sagrada Escritura:«Oxalá fosses frio ou quente. Assim, porque és morno – e não és frio nem quente – vou vomitar-te da minha boca”. (Ap. 3, 15-16)

* * * * *

Se te gabas de ser teu
O poder da liberdade,
Tens responsabilidade
Em ser crente ou ateu.

A consciência é que te diz
O caminho a percorrer;
E Deus um dia há-de ser
O teu supremo juiz.

Também poderá gostar de ler sobre...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...