Reinício da Catequese


Por esta ocasião as paróquias iniciam o novo ano de catequese: inscrições, escolha e formação dos catequistas, organização dos grupos, encontro com os pais… A Catequese é Obra fundamental na Igreja.

Os seus objectivos são sempre os mesmos: dar a conhecer o Deus de Jesus Cristo, ensinar a rezar, levar os destinatários a conformarem a sua vida com o Evangelho, despertar na comunidade cristã a consciência de que é responsável pela catequese e que é chamada a testemunhar aos mais novos, nas diferentes situações da vida, a fé em Jesus.

O êxito da Catequese dependerá muito do cuidado dos pais que, no sacramento do baptismo dos filhos, se comprometeram a educá-los na fé, da acção dos catequistas e do apoio constante da comunidade cuja vida cristã é para os mais novos um estímulo forte a nela se integrarem e a imitá-la.

Não é fórmulas a decorar embora se exija um mínimo de conhecimentos. O importante é levar a viver à maneira de Jesus Cristo.

*****

Diz a Sagrada Escritura: «Prega a Palavra, insiste oportuna e inoportunamente, repreende, censura e exorte com bondade e fidelidade à doutrina… Evangeliza-te e consagra-te ao teu ministério». (II Tim. 4, 2 e 5)

*****

Há cristãos que ficam só
Com uns laivos de doutrina:
Tanta ignorância faz dó,
Ante a beleza divina.

Todo o cristão deve crer
Que o Evangelho e força e luz,
Só pelo facto de ser
A palavra de Jesus.

Fonte: Jornal “Avé Maria” – Vila Real, 27.09.2015

A propósito do tema deste post, transcrevemos a carta que todos os catequistas do Grupo da Catequese Paroquial de Constantim enviaram aos pais das crianças/adolescentes do respectivo grupo:


Caros pais do(a)

Iniciámos hoje um novo período dedicado às sessões semanais da Catequese Paroquial, que não são nem devem ser entendidas como “aulas de religião e moral”, mas que pretendem ser, essencialmente, Encontros com Jesus Cristo, pois, como refere o Directório Geral da Catequese, no seu nº80, “A finalidade última da catequese é pôr as pessoas não apenas em contacto, mas em comunhão, em intimidade com Jesus Cristo.”

O catequista, enquanto colaborador do Pároco, não é mais do que o facilitador desse mesmo Encontro semanal. Contudo, os pais, enquanto primeiros educadores na fé, não podem nem devem demitir-se de colaborar activamente na formação/educação religiosa contínua do(s) seu(s) filho(s), em estreita ligação com o Pároco, que, com a colaboração dos catequistas, cumpre o mandato de Jesus Cristo, “Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura." (Mc 16, 15).

E se a Catequese deve conduzir todos os fiéis à celebração jubilosa da fé em Jesus Cristo, através da participação activa nas celebrações litúrgicas, e de modo especial na Eucaristia dominical, é também importante que os pais, quer pela palavra, mas principalmente pelo testemunho, levem os seus filhos a frequentar assiduamente os Sacramentos da Eucaristia e da Confissão ou Reconciliação. A Eucaristia é, efectivamente, o Sacramento por excelência que Jesus Cristo deixou à Sua Igreja, pelo que é habitualmente designado por Santíssimo Sacramento da Eucaristia. E ninguém se deve aproximar para comungar o Corpo do Senhor se não estiver reconciliado com Deus e com os irmãos.

Do mesmo modo, importa que as crianças e os adolescentes adquiram também o gosto pela oração individual, pelo menos ao iniciar e ao finalizar cada dia. Essencialmente para agradecer tudo o que Deus coloca diariamente à nossa disposição, e não apenas para “pedir” ajuda para resolver qualquer situação mais problemática.

Ao iniciar este novo ano catequético quero, pois, solicitar a vossa colaboração e empenho, para que os encontros semanais de catequese possam, com a ajuda de Deus, produzir bons frutos no coração do vosso filho.

Assim, são importantes a assiduidade e a pontualidade: habitualmente, cada encontro realiza-se ao ……………………., com início pelas ………h, e duração até cerca das ……..h.

Ao vosso dispor para o que considerarem necessário,

O(A) Catequista

Sem comentários:

Também poderá gostar de ler sobre...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...